As Sapekas - Produção Clube do Meio Artístico & Theatro2Produções

https://www.youtube.com/watch?v=oU8Snq0F7cM


Sinopse: “A Bailarina e o Soldadinho de Chumbo”.
"As Sapekas contam, com seu jeito divertido e maluquete, um dos clássicos da literatura infantil, O Soldadinho de Chumbo. Ele é diferente de todos os outros brinquedos, inclusive de seus 24 irmãos, pois tem apenas uma perna, mas isso não o impede de brincar, e durante uma das noites em que os brinquedos ganham vida, o Soldadinho conhece a Bailarina, princesa de um castelo distante. O “Era Outra Vez...” traz a força da amizade e do amor, que não vê diferenças, só enxerga o belo, e não desiste nunca apesar dos obstáculos."
Parte técnica: A peça é feita para ser apresentada em espaços livres como Praças, Ruas, espaços abertos em escolas e em outras instituições sem exigir estruturas exageradas. É adequada para qualquer espaço.
Release:
Na peça de teatro para crianças: “A Bailarina e o Soldadinho de Chumbo” o rider técnico usado é bem simples sendo: Duas caixas para frente, um retorno, um amplificador, uma mesa mixer com entrada para CD Player (Ou notebook) e dois microfones auriculares.
Equipe: Duas atrizes e uma sonoplasta.
Localização: Presidente Prudente - SP
ERA OUTRA VEZ... COM AS SAPEKAS
Era uma vez uma bondosa senhora que toda noite contava histórias às crianças de sua família e vizinhos. Depois de adultos, contavam a seus filhos até que um belo dia essas versões foram transformadas da palavra falada à escrita. Num amanhecer qualquer outras versões foram parar nas telonas dos cinemas. Mas o que realmente elas queriam dizer as crianças e aos adultos?
É fato que as realidades eram diferentes, se transformaram através dos anos, décadas, séculos, milênios. Já que as primeiras histórias datam lá da China, voltemos para o nosso ocidente.
Muito provavelmente você ouviu alguns dos contos de fadas, ou leu, talvez tenha contado aos filhos, netos... O universo lúdico se faz presente em cada um e a maioria das pessoas se encanta com o mundo apresentado em meio a príncipes e princesas. Diversos estudiosos analisaram e interpretaram os clássicos infantis. Que tal atentar-se às entrelinhas?
No caso de Chapeuzinho Vermelho, por que a menina dá atenção ao lobo? Em “Fadas no Divã”, os autores, Mário e Diana Lichtenstein Corso, colocam que “Ela pode não saber que jogo está sendo jogado, mas é inegável seu interesse em participar”. Esse caminho interpretativo leva ao campo minado da sexualidade infantil. Ou seja: o conto não fala apenas sobre o perigo do desconhecido, mas sobre a perda da inocência.
Em O Patinho Feio, segundo Emiliano Urbim, em “A Verdadeira Moral da História”, o mérito do conto é mexer com o senso de deslocamento comum a toda criança. Todo mundo, em algum momento, sente que está no lugar errado, seja a família, seja a escola, a turma, o mundo. Por outro lado, permite aos pais viver na ficção o pavor de ter o filho surrupiado.
São raros os contos que não possuem mensagens subliminares e/ou morais distorcidas, quando não negativas. Em uma das versões de Chapeuzinho Vermelho, por exemplo, neta e avó morrem e não há um caçador para salvá-las.
Com Teka e Leka, as historinhas são divertidas e totalmente direcionadas às crianças de forma lúdica e com mensagens positivas, de acordo com suas idades e desenvolvimento.
Mais uma vez, utilizando Chapeuzinho Vermelho como exemplo, a menina não é em momento algum atacada pelo lobo e ele muito menos deseja tal ato. Entre acontecimentos, como uma brincadeira de “quem chega primeiro” e uma festa surpresa, o caçador, de lenhador, decide mudar de profissão para não prejudicar mais o planeta. Chapeuzinho Vermelho termina prometendo a si mesma sempre cuidar do planeta e dos animais também.
Esta é uma das histórias que compõem o Era Outra Vez, que reconta de um novo prisma os contos de fadas, utilizando-se de materiais diferenciados, inclusive com a participação do público infantil e seus objetos. Tudo com a animação de Teka e Leka, que entre cores alegres entretêm ensinando o verdadeiro valor de crescer.
Equipe de “As Sapekas”
A Bailarina e o Soldadinho de Chumbo
Atrizes: Juliana Negrão e Gabriela Cano
Sonoplasta: Giovana Galindo
Direção: Fábio Nougueira
Figurino e adereços:Nelma Mélo
Músicas: Jotacê Cardoso
Jogos e brincadeiras: Tio Chimu
Texto: Gisele Galindo
Produção: Clube do Meio Artístico e Theatro2Produções

Link´s – Histórico, vídeos e fotos:
Nossas contas no facebook: (Podem solicitar a vontade se houver interesse)

Jotacê Cardoso e/ou Nelma Mélo (18) 3223-8403 – Celular: 18 – 99643-5008 (Whatsapp)

Nenhum comentário:


Arte & Cultura na região Oeste de SP